MEC utilizará tecnologia para melhorar aprendizagem no Brasil

MEC utilizará tecnologia para melhorar aprendizagem pós pandemia. Na feira Bett Brasil 2022, representantes do MEC ministraram palestra com a temática “Recuperação das aprendizagens: Estratégias nacionais e tecnológicas”. A feira é considerada a maior em termos de educação, tecnologia e inovação da América Latina.

O secretário de Educação Básica do MEC, destacou as estratégias desenvolvidas pela Pasta com foco na recuperação e aceleração das aprendizagens no período de pós-pandemia. Especialmente com o uso de tecnologias educacionais. Focando em  inclusão digital e inovação das instituições de ensino.

Conheça os novos programas do MEC

Um dos programas mostrados foi o LABCRIE. Um projeto onde cada estado do país vai poder contar com um laboratório com equipamentos tecnológicos para ser usado na formação continuada de professores e gestores de escolas públicas.

O secretário Mauro Rabelo apresentou um diagnóstico da situação da educação básica no país e falou dos impactos da pandemia na educação. Ele informou que, entre março de 2020 e fevereiro de 2021, 99,3% das escolas brasileiras suspenderam as atividades presenciais. Segundo o secretário, o MEC utilizará tecnologia para melhorar a aprendizagem mediante desafios apresentados pelos estados.

“Para isso,  iremos lançar por meio de decreto presidencial, a Política Nacional de Recuperação das Aprendizagens na Educação Básica. A medida irá seguir seis eixos temáticos com ênfase no alinhamento estratégico que irá abranger sistemas tecnológicos, atenção ao estudante e às suas famílias. Além da formação de docentes e outros profissionais da educação”, informou o secretário Mauro Rabelo.

O secretário também destacou projetos como o Disque 100 Brasil na Escola, uma parceria com o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, que visa o enfrentamento do abandono e da evasão escolar.

Como a Subsecretária de Tecnologia da Informação e Comunicação atuará

O subsecretário de Tecnologia da Informação e Comunicação do MEC, André Castro, também apresentou ferramentas que poderão auxiliar no processo de recuperação das aprendizagens. Uma delas é o Mec Place – Ecossistema de Inovação e Soluções Educacionais Digitais.

O MEC, irá lançar  uma plataforma integrada, em ambiente aberto e colaborativo, na qual estarão consolidadas diversas soluções e iniciativas, envolvendo tecnologia da informação para apoio às redes educacionais nos seus diferentes níveis. “Trata-se de uma vitrine de oportunidades da educação para criar, inovar, compartilhar e disponibilizar soluções digitais para avanço da qualidade da educação do nosso país”, disse André Castro.

A iniciativa consolidará um espaço para diálogo com o mercado em torno da educação do Brasil. Isso significa que abrirá múltiplas formas de ofertas, inclusive abrindo espaço para startups, fortalecendo o processo de transformação digital do ensino brasileiro.

O secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, frisou a Política Nacional de Alfabetização. “Esta medida é uma espécie de bússola que orienta o Ministério da Educação no desenho de suas ações e de programas. Por meio da iniciativa, foram criados dois importantes programas: o Conta pra Mim e o Tempo de Aprender”, afirmou.

O secretário Carlos Nadalim informou, que a Pasta desenvolve, em parceria com o ITA, uma ferramenta com foco na avaliação da leitura.

Em conclusão, o títular da Secretária da Alfabetização apresentou outros programas.. Como o  GraphoGame, um aplicativo que ajuda os estudantes da pré-escola e dos anos iniciais do ensino fundamental a aprender a ler as primeiras letras, sílabas e palavras. E o curso on-line Alfabetização Baseada na Ciência (ABC), disponível para qualquer cidadão interessado, especialmente professores.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MEC

Leia mais notícias e artigos em nosso blog – Bonsae® Conteúdos – Bonsae®

Acompanhe todas as novidades sobre a bonsae em nosso instagram – bonsae (@bonsaeoficial) • Fotos e vídeos do Instagram